Performances Culturais


O termo “peformances culturais” foi cunhado pelo antropólogo Milton Singer (1912-1994) em um estudo publicado em 1955, para designar “Período de tempo limitado, um começo e um fim, um programa organizado de atividades, um conjunto de artistas, um público, e um lugar e ocasião”. Performances culturais são, portanto, entendidas como formas mais convencionais de performance, porque eles são enquadrados por convenções culturais. Apresentações culturais incluem peças de teatro, óperas, circo, carnaval, desfiles, os serviços religiosos, leituras de poesia, casamentos, funerais, formaturas, shows, brindes, brincadeiras e contação de histórias.


Candomblé

Candomblé é uma religião afro brasileira de culto aos Orixás, praticada no Brasil pelo chamado povo do Axé e que se desenvolve em sofisticada rede de hierarquias, práticas e aprendizados. Se na África cada nação tem o culto a um único Orixá, no Brasil o Candomblé assume a junção dos cultos a diversos Orixás em um mesmo Terreiro, um fenômeno tipicamente brasileiro. Os Orixás são deuses e forças da natureza criados pelo deussupremo Olorun. Nos terreiros de Candomblé os Orixás recebem homenagens regulares, com oferendas de animais, vegetaise minerais, cânticos, danças e roupas especiaise tem grande importância no cotidiano dos membros do terreiro. Depois de séculos de preconceito e perseguição o Candomblé, seus rituais, o Xirê, a festa pública, são agora parte integrante da cultura do povo brasileiro.

conheça as pesquisas

Caxambu Jongo

Caxambu: Dança tradicional Afro-brasileira, originária provavelmente da região de Benguela, na atual Angola, praticada no Brasil desde os tempos da escravidão. Encontrada, nos dias atuais, nos estados de São Paulo, Rio de Janeiro e Espírito Santo, comum nas comunidades tradicionais quilombolas e nas periferias das cidades, onde representa o movimento social e cultural dos povos negros. Dançada em roda, sua dinâmica é desenvolvida em par ou individual por homens e mulheres, ao som de tambores. Tanto a palavra jongo como caxambu, em debates etimológicos, sempre geraram várias discussões, quanto a suas origens e significados. Numa generalização, designam a totalidade da forma de expressão e o próprio evento em que ocorrem. A preferência genérica de um ou do outro termo depende do lugar onde a dança é praticada. Em suas especificidades essas palavras têm significados diferentes: a palavra jongo pode designar a expressão vocal associada à dança. Cantar ou tirar um jongo é sinônimo de cantar ou tirar um ponto (como na umbanda); essa palavra origina-se, provavelmente, do umbundo onjongo, nome de uma dança dos Ovimbundos (LOPES, Nei.Enciclopédia Brasileira da Diáspora Africana. São Paulo: Ed. Selo Negro, 2004). Já a palavra caxambu é o nome dado ao grande tambor, de procedência Africana. (LOPES, Nei. Novo dicionário Banto do Brasil. Rio de Janeiro: Ed. Pallas, 2003).

Ciclos do Boi

A manifestação popular do Boi se espalhou adquirindo diferentes nomes, ritmos, formas de apresentação, indumentárias, personagens, instrumentos e adereços. Dessa forma, enquanto no Maranhão, Rio Grande do Norte e Alagoas é chamado bumba-meu-boi, no Pará e Amazonas é Boi-Bumbá ou Pavulagem; em Pernambuco é Boi Calemba ou Cavalo Marinho; no Ceará é Boi de Reis, Boi Surubim e Boi Zumbi; na Bahia é Boi Janeiro, Boi Estrela do Mar, Dromedário e Mulinha-de-Ouro; no Paraná, em Santa Catarina, é Boi de Mourão ou Boi de Mamão; em Minas Gerais, Rio de Janeiro e Cabo Frio é Bumba ou Folguedo do Boi; no Espírito Santo é Boi-de-Reis; no Rio Grande do Sul é Bumba, Boizinho, ou Boi Mamão; em São Paulo é Boi de Jacá e Dança do Boi.

No Maranhão o bumba-meu-boi faz parte do ciclo das festas juninas, dedicadas a Santo Antonio, São João, São Pedro e São Marçal.

Esse tempo sagrado também inicia o ciclo ritualístico com os ensaios que vão do sábado de aleluia até o sábado que coincide com o dia de Santo Antônio, último ensaio, chamado de ensaio redondo. O ciclo de festejos começam na véspera do dia de São João, na noite de 23 de junho, quando cada boi é batizado em toda parte do Maranhão, passando pelo ápice da festa, dia de São Pedro, quando muitos sotaques de bois se encontram na capela do santo, localizada no popular bairro da Madre Deus, até dia de São Marçal 30 de junho, quando se reúnem os bois de sotaque de matraca ou ilha, no bairro João Paulo e depois continuam até setembro ou outubro, quando acontece a matança do folguedo.

Folia de Reis

Nota-se que nesta celebração, carregada de inúmeras seções estritas de ritual devocional católico, surge o elemento perturbador, o mascarado, comumente chamado de palhaço, pelo seu caráter lúdico e de grande disponibilidade em trabalhar, como o palhaço de circo que conhecemos bem, a parte baixa do corpo, os vícios, aludindo os excessos e os desvios da conduta social em sua performance. Durante o processo do ritual, ora ele representa Herodes, o histórico perseguidor de crianças na busca de eliminar o Nazareno, ora alude a todas as forças do mal, simbolizadas pela figura do próprio diabo que será vencido. A dubiedade entre jogo e ritual, entre o palhaço e o diabo estabelece sempre dubiedade que é processada pela Igreja na maioria dos casos.

conheça as pesquisas

Griô

A palavra Griô, deriva da palavra francesa Griot que define o tradicional contador de histórias africano. Além de contador de historia o Griot é um tradicional conhecedor da cultura e sua palavra é muito importante em outras circunstancias sociais quando é também um intermediador de conflitos familiares e mesmo comunitários. No Brasil, embora a palavra seja pouco usada, ela passa a ser conhecida a partir do contato maior com o continente africano nos últimos anos. A presente pesquisa se ocupará, portanto da performance do contador de historias, enquanto narrador das tradições, figura esta que encontramos nas três raízes formadoras do povo brasileiro: a ibérica, a indígena e africana.

conheça as pesquisas

Moçambique de Belém

Tambores incandescentes, corpos em êxtase: técnicas e princípios bantus na performance ritual do Moçambique de Belém
Professor Doutor Claudio Alberto Santos

A tese de doutorado busca fundamentalmente explicar a performance do Moçambique de Belém em suas várias dimensões (artísticas, rituais, míticas, sociais, etc). Nesta perspectiva, procura saber quais são as influências culturais bantas hegemônicas em suas técnicas e princípios tradicionais, bem como, refletir sobre os seus vários significados estéticos, históricos e políticos.

Leia a Tese em formato PDF